Aftas


A afta é uma ferida em mucosa oral, representada por uma lesão ulcerativa pequena de 2 a 3mm de diâmetro, com formato circular e halo avermelhado, possui bordas no mesmo plano da mucosa com centro esbranquiçado ou acinzentado, mostrando-se ser dolorosa. Aparecem principalmente na língua, lábios e mucosa jugal, isto é, em áreas não queratinizadas. Às vezes, no lugar de uma afta isolada aparecem várias ao mesmo tempo. Também pode ser chamada de estomatite aftosa, afta minor, estomatite ulcerativa recidivante, afta de Miculikz, ou ainda de estomatite vesicular.

Aparentemente a causa dessas lesões é desconhecida. Existem algumas hipóteses como alteração no sistema imunológico, processos alérgicos, distúrbios gastro-intestinais, alimentação ácida, febre alta e estresse. Em algumas mulheres, elas podem aparecer durante o período menstrual. As feridas podem ainda ser uma reação a antibióticos e antiinflamatórios, remédios que liberam substâncias ácidas no esôfago. Algumas pessoas têm maior predisposição para o problema e por isso suspeita-se que a afta seja hereditária.
Frutas ácidas como o abacaxi, assim como temperos picantes - ketchup, pimenta, mostarda, molho de tomate, vinagre, entre outros -, podem funcionar como fatores desencadeantes.

As aftas surgem na maioria das vezes em pessoas saudáveis, não provoca febre nem mau hálito, não tem cura definitiva, não é transmissível e pode ou não ser dolorosa.

Tais lesões desaparecem espontaneamente entre 7 e 10 dias. O tratamento é individualizado visando aliviar os sintomas, prevenir o aparecimento de novas aftas e diminuir a gravidade do surto. O tratamento mais comum é o uso de antiinflamatório corticóide, recomendado em bochechos ou pomadas apropriadas.
Quem tem propensão para aftas deve evitar consumir frutas e condimentos ácidos e, na medida do possível, combater o estresse.

Luciana Torres, CD
 

©2010 Luciana Torres - Direitos Reservados